Maxiavelli: Não Sou Racista. De Certeza?

Mulher amuada ou o Silêncio de Paul Gauguin

Quantas vezes é que ouviram dizer "Eu não sou racista; eu até tenho amigos [inserir etnia]!"?

Hoje em dia, já não é mais aceitável ser racista (pelo menos abertamente); por isso os racistas encontraram novas maneiras de expressar o seu preconceito. Por outras palavras, o racismo evoluiu.
Uma vez que os racistas podem ser processados por expressarem a sua intolerância; eles agora dizem não serem racistas porque cometem o seu crime de ódio com subtileza e através de jogo de palavras; isto é, fazem uso daquilo a que chamo de Racialmente-Correcto, para evitarem serem levados a tribunal.
O Racialmente-Correcto (RC) é a forma de exercer racismo sem a utilização óbvia de insultos racistas; ao mesmo tempo que se procede ao exercício de agressão furtiva e, se gera tensão social.
Vocês, provavelmente, já viram muitas vezes este fenómeno em acção; e, ainda que o racista furtivo pareça bem-educado, e aparente apresentar argumentos racionais, há sempre qualquer sinal de que algo está errado.

Permitam-me, por favor, que exponha alguns exemplos de RC:
Exemplo A - um homem branco casa-se com uma mulher negra e tem filhos. Mais tarde, os seus filhos apaixonam-se por negros. O pai opõe-se fortemente a tais relacionamentos. Quando a sua prole defende "Mas tu mesmo és casado com uma negra!" ele responderá "Isso é diferente; para além do mais a vossa mãe não é preta!"...
Exemplo B - uma mulher negra casa com um homem branco e tem filhos. Nas reuniões de família, ela comenta que os familiares negros que "casam com manos" não estão a fazer um esforço para melhorar a qualidade do cabelo dos filhos.
Exemplo C - classificar todas as pessoas de pele clara como brancas, por razões políticas.
Exemplo D - pedir que sejam incluídas fotos nos curricula vitae, para facilitar a triagem racial.
Exemplo E - os cremes branqueadores de pele e os seu anúncios "White is Perfect".
Exemplo F - activistas "pró-Palestinianos" que afirmam oporem-se ao governo israelita, mas depois falam de forma obsessiva dos "Sionistas" (que, segundo os tais activistas, fora de israel controlam "a media, os sistemas bancário e político"), e acusam os judeus religiosos de serem irracionais e insensíveis. O melhor exemplo do racialmente-correcto é o pensamento de Roger Waters "Sabem, partindo do princípio de que não és uma espécie de fanático religioso da ultra-direita que acha que israel deveria ir da Turquia ao Mali (...) o objectivo, estrategicamente falando, deveria ser a solução do problema dos refugiados palestinianos, o fim da ocupação, a segurança e o direito a levar uma vida decente para todos os cidadãos de israel - tanto os cidadãos judeus como os cidadãos palestinianos - que representam 20 por cento [da população]" - olhem bem para este argumento aparentemente racional...o que é que vêem?

A ausência de insultos racistas não invalida o acto racista per se, visto que a agressão (por mais furtiva que seja) faz-se sentir na mesma.

Antes de partir; deixo-vos uma pequena fórmula para identificar o Racialmente-Correcto (para o caso de vocês não confiarem no vosso instinto):

1- O indivíduo Racialmente-Correcto jamais articulará palavras racistas.
2- O indivíduo RC fará das duas uma: ou excluirá por completo outras etnias de actividades sociais ou, convidará um ou dois membros de etnia diferentes da sua (e fá-los-á sentirem-se desconfortáveis).
3- A pessoa RC irá difamar o seu alvo, ao disseminar mentiras acerca do mesmo e ao fazer fofoca acerca da sua vida.
4- O exercitador RC irá fazer com que outros retirem o seu apoio e amizade ao seu alvo.
5- O cobarde RC irá exercer Cyber-bullying.

As pessoas que dizem "Eu não sou racista, eu tenho amigos [inserir etnia]!" são geralmente racistas; porque aqueles que não o são, não têm necessidade de dizer tais coisas: a sua postura perante a vida é disso prova.

Comentários

  1. Max,
    Artigo maravilhoso!
    Esse racismo disfarçado é terrível, na verdade o vale são as ações, o que de fato mostrará o que a pessoa pensa.
    De que adianta, se dizer não racista, se subjuga, ofende, maltrata, trata as outras pessoas com arrogância, se acha superior.
    Pobres dessas pessoas, tenho pena delas! elas não sabem o mal que fazem a si próprias.

    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Dri :D!

      Obrigada, querida.
      Eu até acho que o racismo disfarçado é pior do que o outro mais óbvio.
      É verdade, minha linda.

      Dri, muito obrigada pelo teu super comentário :D.

      Beijos

      Eliminar
  2. Olá, Max!

    A minha família é composta por gente de quatro continentes; talvez seja por isso que eu sinta desprezo por todo aquele que não entenda a grandeza da humanidade.
    Mas o racismo é um cancro mestátesado porque até o Dicionário da Porto Editora diz que catinga é o "cheiro desagradável da pele dos negros"...
    Esses produtos para clarear a pele são uma forma de racismo, porque parece-me que estão a dizer as pessoas que, só serão bem parecidas ou bonitas se forem mais claras.

    Bjcas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Lenny :D!

      Que horror: um objecto académico ensinar uma coisa dessas! Deveriam ter vergonha.
      Claro que é racismo, e do mais descarado.

      Lenny, obrigada pelo teu super comentário :D.

      Beijocas

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço