Maxiavelli: A Decadência Gradual da CNN Internacional


Os Romanos da Decadência- Thomas Couture

A CNN Internacional, aos poucos, está-se a tornar impossível de ver.

Tirando o "GPS" de Fareed Zakaria, o "Situation Room" de Wolf Blitzer, o "Quest Means Business" de Richard Quest, o "Inside Africa" com o Errol Barnet e o "Voices of Africa" o canal está praticamente uma seca. O que foi que mudou?

Eu costumava ser uma telespectadora ávida do AC 360º; até me forçava a perdoar o péssimo hábito que o Anderson Cooper tem de se agarrar que nem uma lapa à mesma história durante um mês. Mas agora não consigo ver mais o programa (desculpa lá, Andy Cooper, és mignon, eu adoro-te mas estou a ser-te infiel com a Fox News).

Qual a causa? Por exemplo, a cobertura do caso Zimmerman (após o veredicto, parecia que a CNN, através do AC 360º, estava decidida a recriar tensões raciais nos EUA. Forçaram uma campanha racial em vez de aproveitarem o caso para abordar assuntos mais prementes, tais como, a responsabilidade parental entre os Negros Americanos e a mudança do seu comportamento); a cobertura do caso Snowden (praticamente glorificaram um traidor e um jornalista que colocou em risco a segurança nacional de um grupo de nações) e, a cobertura da detenção do companheiro de Glenn Greenwald no Aeroporto de Heathrow (forneceram ao Greenwald um veículo de demonstração de quão ridículo e ignorante ele é na realidade: comparecer no AC 360º e dizer ao Anderson Cooper que os serviços secretos jamais conseguirão quebrar o código de encriptação nos aparelhos electrónicos que o seu companheiro [uma Mula de intel] tinha em sua posse, é lamentável - perdoem-me pelo que estou prestes a dizer, mas a reacção do jornalista exige que se faça a seguinte pergunta: ele droga-se ou quê? É impossível que ele seja assim tão tolo, ou romântico, a ponto de acreditar que os serviços secretos tenham perdido todas as suas habilidades. De qualquer maneira, ele fez uma completa figura de parvo e, infelizmente, o Anderson Cooper fez o mesmo, por proxy).


Eu costumava assistir ao programa do Piers Morgan (não é que gostasse muito mas, às vezes, lá o via), só que agora já não assisto. Pourquoi? Primeiro, não gosto da maneira como chama "estúpido" a alguns convidades conservadores (ele pode ser mordaz, para o fim de atrair audiências, mas não precisa de ser mal-educado); segundo, a imposição de uma agenda anti-segunda emenda já cansa (e mais, deveria ele, um convidado na América, fazê-lo? Seria o mesmo que convidar uma pessoa para a nossa casa e tê-la a dizer-nos como gerir o nosso lar); terceiro, o seu óbvio preconceito emocional em relação aos vários segmentos do Conflito Árabe-Israelita é um mau serviço público (o PM Netanyahu deveria recusar-se a ser entrevistado por ele no futuro; de que servem as entrevistas com este tipo de jornalista se não fôr para beneficiar Israel?); quarto, a cobertura do caso Zimmerman (a Rachel Jeantel pode ser inteligente mas isso não altera o facto de ela ter parecido uma mal-educada em tribunal; contudo a CNN esforçou-se, em demasia, por alterar a opinião que o público tinha dela) e quinto, a sua Campanha demagógica a favor da Marijuana (o Piers Morgan convidou um grupo de mulheres , que se auto-apelidam de "Mãe-Juanas" e, afirmaram ser "melhores mães por causa da marijuana" - como se a receita fosse kosher para todos).

A CNN Internacional costumava ser o meu canal de notícias; aquele para quem eu corria antes das minha sessões de yoga matinais. Um canal que costuma ter o cuidado de transmitir acontecimentos globais relevantes. Agora, parece mais uma fusão, de mau gosto, entre a CNN e a TMZ.

Durante o período de Junho-Julho, muitos de nós queriam saber o que estava a acontecer (e fazer o devido follow-up) na Turquia, no Brasil, nos países Africanos (alvo de Islamistas Radicais), no Japão, na Eurozona; e o que foi que a CNN Internacional nos ofereceu? O pré-nascimento, o nascimento e pós-nascimento do Príncipe George. Eu até transmiti os meus Mazel Tov, e abençoei o nascimento do pequeno bébé real; contudo, se eu tivesse mesmo querido concentrar-me nisso ter-me-ia sintonizado com o canal de Sua Majestade: a BBC World News.

A CNN Internacional está a degradar-se aos poucos e, para quê: prémios e reconhecimento?
Até que ela faça um reboot, a Maxiavelli irá matar a sua sede, de informação relevante, na Euronews e na Fox News.

Ciao! 

Comentários

  1. Ó Max, não vejo esse canal...desculpe. Deus a abençoe!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Maria Joaquina :D!

      Não tem de pedir desculpa, ora essa.
      Obrigada pela benção e pelo comentário :D.

      Um abraço

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço