Onda de Descarrilamentos Ferroviários: Erro, Sabotagem, Vandalismo ou Terrorismo?

Ao Pé dos Carris - Gyula Derkovits
Max está de volta...
Durante a minha pausa estival aconteceram muitas coisas à volta do mundo; mas a mais interessante de todas foi a reincidência de carácter sexual de Anthony Weiner (um político Americano que voltou a comportar-se mal). Mas, não vou falar disso porque há assuntos mais prementes a abordar.

No mês passado, testemunhámos quatro descarrilamentos ferroviários, em quatro países diferentes. Pode não significar grande coisa; afinal, comboios descarrilam e chocam a toda a hora, à volta do globo; contudo, os intervalos deste incidentes podem dar pistas de que talvez estes não tenham sido, afinal, uma coincidência:

  • 9 de Julho - Lac-Megantic, Quebec (Canadá). Um comboio com 72 tanques de crude, descarrilou e explodiu; arrasando uma boa parte da vila. Primeiro, o maquinista foi responsabilizado mas depois a polícia encontrou provas de acto criminoso
  • 12 de Julho - Bretigny-sur-Orge, sul de Paris (França). Um comboio de intercidades descarrilou e embateu contra uma plataforma da estação de comboios. Primeiro, o maquinista foi responsabilizado mas depois as autoridades concluiram que a causa do incidente foi a separação das barras de metal que ligam os dois carris, e deram início a uma investigação para apurar como é que aquilo pode ter acontecido (i.e. suspeitam que tenha sido um acto criminoso). 
  • 25 de Julho - Santiago de Compostela, Galicia (Espanha). Um comboio descarrilou e chocou contra uma parede, na véspera da festa de São Tiago. O maquinista está a ser responsabilizado. Apesar de testemunhas afirmarem terem ouvido uma explosão antes do descarrilamento e embate - tendo, inclusivé, uma delas dito que "ouvira uma explosão antes de ver o comboio descarrilar"; os espanhóis parecem ter descartado esses testemunhos por alguma razão ainda por revelar...
  • 29 de Julho - Granges-Prés-Marnand (Suíça). Dois comboios colidiram. Um dos maquinistas foi encontrado morto. A polícia está a investigar o que possa ter provocado a colisão naquele que é considerado um dos mais seguros caminhos de ferro na Europa (apesar de, até ao dia em que este artigo foi concluído, a causa provável apresentada fora "erro do condutor").
O segundo incidente ocorreu três dias antes do primeiro; o quarto ocorreu quatro dias após o terceiro. Os dois últimos incidentes ocorreram treze dias depois dos dois primeiros. É essencial concatenar estes eventos com outros principais eventos e ameaças. Não há coincidências.
Os investigadores europeus pareciam, a priori, estar a tratar estes incidentes trágicos como infortúnios, sem qualquer relação entre si, causados por erro humano; mas agora os franceses temem que o seu descarrilamento trágico tenha sido causado por sabotagem, vandalismo...
"Crê-se que três dos quatro parafusos de aperto que fixam a placa de aço que saltou para fora do lugar, causando o descarrilamento do expresso Paris-Limoges, se tenham partido ou soltado - algo que é quase impossível"..."Na memória dos ferroviários, os parafusos de aperto jamais se soltaram sozinhos,"..."Não se pode excluir um acto deliberado de sabotagem."..."Peritos de caminhos-de-ferrro dizem ser concebível que um parafuso de aperto, numa tala de junção, se parta ou se solte; mas é quase impossível que três (de quatro parafusos) se espatifem ao mesmo tempo." (The Independent; tradução: Max Coutinho)

Teoria da Conspiração
A polícia, investigando os quatro incidentes, encontra provas de crime (podem até encontrar provas forenses que indiquem o culpado[s]). São, então, abordados por agentes dos serviços de segurança nacional que os aconselham a não disponibilizar informação à/ao media/público, sob pena do(s) "criminoso(s)" escapar(em); representantes políticos também abordam as autoridades para lhes pedir que evitem o emprego de palavras como "terrorismo" sob pena de certas camadas da população causarem um derramamento de sangue e uma enorme crise política junto de parceiros diplomáticos - a omissão de factos é, assim, a melhor política afim de se manter a ordem.

Então, do que é que se trata isto exactamente: de erro humano, sabotagem, vandalismo ou terrorismo? Digam-me vocês...

Comentários

  1. Respostas
    1. Olá Paulo :D!

      É...

      Obrigada pelo seu comentário :D.

      Um grande abraço

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Oi Cidão :D!

      Como chegaste a essa conclusão?

      Obrigada pelo teu comentário :D.

      Um abraço

      Eliminar
  3. Denoto um padrão por isso digo que se trata ou de sabotagem ou de terrorismo (dependendo da existência de reinvindicação?). Só tenho pena do Garzón, lá de espanha, a apanhar com toda a culpa quando a caixa negra levanta muitas questões, mas também se calhar é por isso que ainda não foi formalmente acusado?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Carla :D!

      Tendo em conta que a nova moda é não reinvindicar...não sei, não.
      É verdade: coitado do homem. Mas como disse, e bem, por alguma razão válida é que ainda não o acusaram formalmente...

      Carla, muito obrigada pelo seu comentário :D.

      Um abraço

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço